Acompanhamento de 43 meses demonstra melhorias incrementais de cemiplimabe em pacientes com carcinoma de células escamosas avançado

3 min. de leitura

A imunoterapia para o tratamento do CEC não passível de ressecção cirúrgica ou metastático tem ganhado cada vez mais importância  

O 10º Congresso Mundial de Melanoma em conjunto com o 17º Congresso EADO (European Association of Dermato-Oncology) foi realizado entre os dias 15 e 17 de abril de 2021, abordando importantes temas relacionados aos tumores cutâneos, como melanoma, carcinoma de células escamosas (CEC), carcinoma de células de Merkel (CCM), carcinoma basocelular (CBC), ceratose actínica, sarcoma cutâneo e linfoma cutâneo de células T e B. 

O primeiro Congresso Mundial de Melanoma aconteceu em Veneza em 1985. Desde então, a conferência tornou-se uma reunião bem estabelecida, realizada a cada quatro anos. Em 2021o evento celebra seu décimo aniversário e proporcionou ricas oportunidades educacionais relacionadas aos cânceres de pele melanoma e não melanoma. Epidemiologia, prevenção e detecção precoce, diagnóstico e estadiamento, cirurgia, radioterapia e terapias sistêmicas ou intralesionais foram os temas centrais do encontro. 

 Um importante destaque foi a atualização dos dados de eficácia do cemiplimabe no tratamento de pacientes com CEC de pele metastático ou localmente avançado após um acompanhamento de aproximadamente 43 meses.  

Os pacientes receberam cemiplimabe 3mg/kg a cada duas semanas (Grupo 1: CEC metastático; Grupo 2: CEC localmente avançado) ou cemiplimabe 350mg a cada três semanas (Grupo 3: CEC metastático). O desfecho primário foi a taxa de resposta objetiva (TRO, que envolve resposta completa + resposta parcial) por revisão central independente (RCI). A data de corte de dados para a análise de acompanhamento atual é 11 de outubro de 2020.  

Resultados 

Um total de 193 pacientes foram incluídos (Grupo 1, n = 59; Grupo 2, n = 78; Grupo 3, n = 56). No corte de dados, a duração mediana do acompanhamento foi de 15,7 meses para todos os pacientes. No geral, houve uma discreta melhora na TRO por RCI para 47,2% (IC 95%: 39,9 – 54,4), que permaneceu a mesma para os Grupos 1 e 2, mas aumentou no Grupo 3 para 46,4% (anterior era de 42,9%; isso inclui duas novas respostas completas, alcançando 19,6%). 

 A duração mediana de resposta não foi alcançada. Entre os respondedores, a proporção estimada de resposta contínua em 24 meses melhorou globalmente para 72,8% (IC 95%: 61,2 – 81,4), em comparação com 69,4% (IC 95%: 55,6–79,6) na última atualização. 

 A estimativa mediana de Kaplan-Meier para sobrevida livre de progressão a todos os pacientes foi de 18,5 meses (IC 95%: 10,3 – 31,3), sendo que para os Grupos 1, 2 e 3 foi de, respectivamente, 18,4 meses (IC 95%: 6,8 – 32,8), 18,5 meses (IC 95%: 11,1 – não estimável) e 21,7 meses (IC 95%: 3,6 – não estimável). A sobrevida global mediana por RCI não foi alcançada. 

A incidência de eventos adversos relacionados ao sistema imunológico e aqueles emergentes do tratamento foram consistentes com a atualização anterior. Os eventos adversos mais comuns relacionados ao tratamento em qualquer grau foram fadiga (34,7%), diarreia (27,5%) e náuseas (23,8%). 

 Portanto, o acompanhamento de 43 meses desse estudo mostra melhorias incrementais na duração de resposta com o tratamento com cemiplimabe em todos os grupos de estudo com CEC de pele avançado, bem como melhorias na TRO e taxa de resposta completa no regime de cemiplimabe 350mg a cada três semanas. Não houve novos sinais de segurança. 

 

Referências:  

  1. https://worldmelanoma2021.com/  
  1. Rischin D, et alPhase 2 study of cemiplimab in patients with advanced cutaneous squamous cell carcinoma (CSCC): follow-up at 43 months. Abstract P-236. 10th World Congress of Melanoma in conjunction with 17th EADO Congress. April 15 – 17, 2021. 

 

Send this to a friend