Atualização dos dados do estudo GEOMETRY mono-1: Coorte de expansão 7 confirma eficácia em primeira linha com uso de Capmatinibe no tratamento do CPNPC avançado com mutação METex14 skipping

3 min. de leitura

Dra. Aknar Calabrich, médica oncologista da Clínica AMO, aborda a atualização dos dados do estudo clínico de fase II, GEOMETRY mono-1. que avaliou a eficácia do capmatinibe em pacientes com CPNPC avançado com alteração do gene MET

 

O estudo GEOMETRY mono-1, investigou a atividade do capmatinibe em pacientes com CPNPC avançado com mutação tipo skipping do exon 14 MET ou amplificação de MET. O estudo incluiu pacientes que receberam tratamento prévio e pacientes  virgens de tratamento.  

O estudo foi dividido em cinco coortes (com as coortes 1 e 5 com subcoortes) para avaliação da eficácia com base em hipóteses estatísticas pré-especificadas; duas coortes de expansão (6 e 7) foram adicionadas para gerar evidências clínicas de suporte. 

Segundo Dra. Aknar, os dados das coortes 4 e 5b foram essenciais para a aprovação do capmatinibe pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Estas foram coortes que avaliaram pacientes com mutação do tipo skipping do exon 14 de MET. Na coorte 4, os pacientes eram previamente tratados, e na coorte 5b, os pacientes não tinham tratamento prévio.   

Nestas duas coortes, os pacientes apresentaram taxas de resposta elevadas, sendo de 41% (29–53) na coorte 4 e de 68% (48–84) na coorte 5b. Estes dados mostram que o capmatinibe tem um benefício maior nos pacientes virgens de tratamento  

(coorte  5b) quando comparamos com pacientes que já haviam recebido tratamento prévio (coorte  4 ), no cenário de tratamento do CPNPC e mutação do tipo skipping do exon 14 de MET. A mediana de sobrevida livre de progressão (SLP) foi de 5,4 meses (4,2–7,0) para coorte 4, e de 12,42 meses (8,21– 23,39) para coorte 5b. 

Para corroborar esses dados, foi implementada a coorte de expansão 7 (N = 32), que também avaliou pacientes com CPNPC e mutação do tipo skipping do exon 14 de MET, virgens de tratamento.  Os dados de eficácia da coorte 7 foram apresentados recentemente no European Lung Cancer Congress (ELCC) de 2022. Mais uma vez, a taxa de resposta foi elevada, em torno de 70%. A SLP foi cerca de 12,45 meses (6,87-20,50) e a sobrevida global ainda não foi atingida.  

A especialista ressalta no vídeo como os dados deste estudo clínico impactam a prática clínica. Segundo ela, esses dados confirmaram a maior atividade do capmatinibe em pacientes com CPNPC e mutação do tipo skipping do exon 14 de MET na primeira linha de tratamento. Sendo assim, é necessário que haja uma testagem ampla dos pacientes com CPNPC avançado ao diagnóstico, para garantir que esses pacientes obtenham o melhor benefício desta terapia.  

A especialista acrescenta que a realização de um painel pequeno não é efetiva, já que estes painéis geralmente não investigam as mutações em MET. Ainda, pacientes com mutação do tipo skipping do exon 14 de MET apresentam um pior prognóstico caso não sejam expostos a inibidores de tirosina quinase, o que reforça a necessidade de terapias eficazes para estes pacientes logo na primeira linha.  

 

Referências: 

  1. J. Wolf et al., Capmatinib in MET Exon 14–Mutated or MET-Amplified Non–Small-Cell Lung Cancer. N Engl J Med 2020; 383:944-957. DOI: 10.1056/NEJMoa2002787 
  2. J. Wolf et al., 26P Capmatinib in treatment (Tx)-naive MET exon 14-mutated (METex14) advanced non-small cell lung Cancer (aNSCLC): Updated results from GEOMETRY mono-1. VOLUME 33, SUPPLEMENT 2, S42, APRIL 01, 2022. DOI:https://doi.org/10.1016/j.annonc.2022.02.035 
Send this to a friend