CheckMate 9X8: acréscimo do nivolumabe ao esquema de tratamento de primeira linha do câncer colorretal metastático

2 min. de leitura

Apesar do desfecho primário deste estudo de fase 2 não ter sido alcançado, o acréscimo de nivolumabe ao tratamento padrão de primeira linha para câncer colorretal metastático, aponta para incremento na taxa de sobrevida livre de progressão em 15 meses maior resposta objetiva e durável

Tratamentos standard de primeira linha para pacientes com câncer colorretal metastático (mCCR) incluem uma fluoropirimidina associada a oxaliplatina e/ou irinotecano, e um agente biológico. É possível que tratamento com nivolumabe (NIVO) incremente a atividade antitumoral dos tratamentos de primeira linha em um subgrupo de pacientes com mCCR. O estudo CheckMate 9X8 apresentado no 2022 ASCO® Gastrointestinal Cancers Symposium avaliou a eficácia do acréscimo de NIVO ao esquema convencional mFOLFOX6 associado a bevacizumabe (mFOLFOX6/BEV) no tratamento de primeira linha de pacientes com mCCR.  

Pacientes com mCCR irressecável e não previamente tratados foram randomizados na razão de 1:2 para receberem mFOLFOX6/BEV a cada 02 semanas (SOC) ou NIVO 240mg + SOC a cada 02 semanas. O desfecho primário do estudo era sobrevida livre de progressão (SLP). Desfecho secundário incluiu taxa de resposta objetiva (TRO), taxa de controle de doença (TCD), tempo para resposta (TPR), duração de resposta (DDR), sobrevida global (SG) e segurança.  

No total, 195 pacientes foram randomizados, sendo 68 para SOC e 127 para NIVO + SOC. O tempo de seguimento mediano foi de 23,2 (0–32,3) meses para SOC e 23,7 (0–33,2) meses para NIVO + SOC. O tempo médio de duração de tratamento foi de 7,7 (0,1–26,7+) meses para SOC e de 9,9 (0,1–31,8+) meses para NIVO + SOC. A SLP mediana foi de 11,9 meses para ambos os braços de tratamento (HR 0,81 [95% CI 0,53–1,23]; P = 0,30) – o que não atingiu o nível de significância estatística pré-especificado para o estudo. Taxas de SLP em 15 meses foram 21,5% e 45% para SOC e NIVO + SOC respectivamente.  

O acréscimo de NIVO ao esquema SOC incrementou a TRO de 46% para 60% (OR 1,72 [95% CI 0,96–3,10]). A mediana de DDR foi de 9,3 (7,5–11,3) meses para SOC e de 12,9 (9,0–13,1) meses para NIVO + SOC. Taxa de eventos adversos de graus 3 ou 4 aumentou de 48% para 75% com o acréscimo de NIVO ao esquema SOC e a taxa de eventos que levaram a descontinuação do tratamento aumentou de 10% para 25%. Análises complementares avaliando biomarcadores, incluindo TMB e níveis basais de linfócitos CD8, serão apresentados em análises futuras – o que pode levar para uma seleção de pacientes que mais se beneficiam do incremento do tratamento padrão com NIVO.  

Apesar do desfecho primário do estudo não ter sido alcançado, o acréscimo de NIVO ao SOC para tratamento de primeira linha aponta para incremento na taxa de SLP em 15 meses de acompanhamento, uma maior TRO e respostas mais duráveis em relação ao SOC. 

 

Referências: 

  1. Nivolumab (NIVO) + 5-fluorouracil/leucovorin/oxaliplatin (mFOLFOX6)/bevacizumab (BEV) versus mFOLFOX6/BEV for first-line (1L) treatment of metastatic colorectal cancer (mCRC): Phase 2 results from CheckMate 9X8. Disponível em https://meetings.asco.org/abstracts-presentations/204529. 

 

Send this to a friend