Estudos GLOW e CAPTIVATE na terapia da leucemia linfocítica crônica

2 min. de leitura

Neste vídeo, DraAdriana Scheliga, Hematologista e Oncologista do Grupo Oncoclínicas Rio de Janeirocomenta sobre os dados dos estudos GLOW e CAPTIVATE, que abordam o uso de ibrutinibe e venetoclax em LLC

Leucemia linfocítica crônica (LLC) é uma das duas formas mais comuns de leucemia em adultos. LLC é uma doença que acomete predominantemente idosos, com idade média no diagnóstico de 70 anos e é mais comum entre homens do que mulheres. O linfoma linfocítico de pequenas células (LLPC) é considerado uma variante tumoral da leucemia linfocítica crônica. Os inibidores de tirosina quinase (TKIs) são hoje uma terapia transformadora no cénario da LLC e LLPC. Ibrutinibe (I), um TKI de primeira geração, e venetoclax (V), um inibidor de BCL2, são drogas já aprovadas para primeira linha de tratamento da LLC.  

O estudo GLOW, um estudo de fase 3, randomizado em pacientes com LLC previamente não tratados, com dois braços de tratamento, I + V versus o tratamento de primeira linha padrão de obinutuzumabe e clorambucil (controle). Os pacientes tinham ≥ 65 anos ou entre 18 e 65 anos com comorbidades. Os critérios de exclusão incluíram pacientes que possuíam del (17p) e mutações TP53 conhecidas. 

Este estudo demonstrou uma superioridade da sobrevida livre de progressão (SLP), desfecho primário do estudo, a favor do I + V. Após um acompanhamento médio de 28 meses, a SLP mediana não foi alcançada com I + V e foi de 21 meses no braço de controle (HR = 0,216; P <0,0001). Esses resultados podem ser traduzidos em uma redução do risco de progressão ou morte em 78% dos pacientes, no braço I + V. 

A taxa de resposta completa mais resposta completa com recuperação incompleta da medula óssea foi de 38,7% vs 11,4% (P <0,0001), em favor de I + V. Dentro do grupo experimental, 84,5% dos pacientes mantiveram DRM indetectável no sangue periférico 12 meses após a interrupção da terapia. As taxas de resposta completa foram de 38,7% e 11,4% entre as coortes de I + V e controle, respectivamente. Além disso, entre os pacientes que responderam à terapia, 90% do braço experimental e 40% do braço controle mantiveram suas respostas 24 meses depois. 

CAPTIVATE é um estudo multicêntrico de fase 2 de I + V de primeira linha em LLC e LLPC. Este estudo avaliou 159 pacientes com idades entre 18 e 70 anos com LLC e LLPC. Os pacientes receberam 3 ciclos de introdução de ibrutinibe seguidos por 12 ciclos de I + V. As características de alto risco incluíram mutação del (17p) / TP53, 17%; del (11q), 18%; cariótipo complexo, 19%; e IGHV não mutado, 56%. 147 (92%) e 149 (94%) pacientes completaram o tratamento planejado com ibrutinibe e venetoclax, respectivamente.  

O tempo médio no estudo foi de 27,9 meses (variação, 0,8-33,2). Com I + V de duração fixa, a taxa de resposta completa foi de 55% (IC de 95% 48–63) na população geral e foi consistente em todos os subgrupos de alto risco. A taxa de resposta global foi de 96%. A melhor resposta de DRM foi alcançada em 77% dos pacientes no sangue periférico e 60% dos pacietnes na medula óssea. A SLP de 24 meses foi de 95%; e a SG de 24 meses foi de 98%.  

O perfil de segurança da combinação foi geralmente consistente com eventos adversos (EAs) conhecidos para ibrutinibe e venetoclax individualmente e não surgiram novos sinais de segurança. Sendo os  EAs de grau 3 ou superior mais comuns no grupo I + V, neutropenia, diarreia e hipertensão. 

Dra. Adriana Scheliga traz uma análise completa dos resultados e implicações dos dados deste estudo. Assista o vídeo para saber mais. 

Send this to a friend