O papel do médico especialista e do generalista na abordagem do carcinoma basocelular

< 1 min. de leitura

Dra. Clarissa Pratidermatologista e preceptora de residência médica do Hospital São Lucas PUCRS, comenta sobre o papel do dermatologista na investigação diagnóstica e no tratamento do carcinoma basocelular (CBC)

A especialista comenta acerca de aspectos relativos à negligência que ocorre com esse tipo de câncer, o que comumente leva a um diagnóstico tardio. Ela ainda associa o diagnóstico tardio à elevada prevalência e incidência do CBC avançado. Ou seja, uma grande parcela de pacientes que antes teria potencial curativo caso diagnosticados precocemente, já se apresenta com doença avançada, o que dificulta o tratamento e piora o prognóstico. 

Comenta, ademais, o papel da via de hedgehog na oncogênese do CBC. Entretanto, ao relatar sua experiencia clínica, aponta os obstáculos relativos ao real benefício obtido com a droga vismodegibe, um inibidor da via de hedgehog (HHI), citando a resistência aos medicamentos, condição clínica, fatores econômicos, efeitos adversos e o diagnóstico tardio, como exemplos. 

Aponta, ainda, a responsabilidade do médico especialista e do generalista de abordarem corretamente o carcinoma basocelular, pois apenas dessa forma podemos nos valer da evolução menos agressiva. Desse modo, a promoção de qualidade de vida, aumento da sobrevida e melhora no prognostico são benefícios alcançáveis com uma melhor abordagem frente ao CBC. 

 

Apoio Educacional:

 

Send this to a friend