Políticas públicas na redução de disparidades no combate ao câncer

< 1 min. de leitura

Não só em novas medicações e tecnologias se baseia o combate ao câncer. Segundo o Dr. Gilberto Lopes, oncologista clínico do Sylvester Comprehensive Cancer Center em Miami (EUA), a aplicação de políticas públicas também parece ser fundamental para garantir maiores taxas de sucesso para o maior número possível de pacientes.

O oncologista comentou os resultados de um importante trabalho apresentado pela Dra. Amy Davidoff na Sessão Plenária do ASCO 2019, congresso da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, que ocorreu em Chicago (EUA), de 31 de maio a 04 de junho. O estudo avaliou o impacto da implementação do chamado Affordable Care Act (ACA), projeto de lei que promovia expansão do acesso ao Medicaid, um programa social que prevê cobertura de custos de serviços de saúde para populações de baixa renda nos EUA. Os dados apresentados mostraram aumento significativo no acesso a tratamentos oncológicos por parte de populações minoritárias após aprovação do ACA, porém apenas nos estados norte-americanos que implementaram essa expansão. Nesses locais, o acesso a tratamentos oncológicos mostrou-se fator essencial na redução de disparidades históricas, principalmente aquelas identificadas na comparação entre populações afroamericanas e caucasianas.

O Dr. Gilberto Lopes ressaltou a importância desse resultado para o contexto da saúde pública brasileira, destacando o quanto o acesso adequado ao SUS e a saúde suplementar é uma ferramenta fundamental na luta contra o câncer no Brasil.

Send this to a friend