Tratamento de pacientes com metástase cerebral de melanoma ativa com a combinação de nivolumabe mais ipilimumabe

2 min. de leitura

A sobrevida global e sobrevida livre de progressão duradoura de 3 anos na coorte assintomática comprova o benefício do uso da combinação nivolumabe mais ipilimumabe nesta população

Tawbi et al apresentou a atualização de 3 anos do estudo CheckMate 204 durante a edição deste ano do congresso Europeu de Oncologia (ESMO 2021). Nos dados apresentados previamente, pacientes assintomáticos (coorte A), com metástase cerebral de melanoma (MCM) ativa e não tratada, alcançaram altas taxas de resposta intracraniana e extracraniana com uso de nivolumabe (NIVO) + ipilimumabe (IPI). Porém, a eficácia foi menor em pacientes com MCM sintomática ou que necessitavam de corticoide (coorte B).  

No desenho deste estudo fase II, multicêntrico, pacientes com melanoma metastático e ≥ 1 metástase cerebral não irradiada de 0.5-3cm de diâmetro receberam NIVO 1mg/kg + IPI 3mg/kg Q3W x 4 ciclos, seguido de NIVO 3mg/kg Q2W até progressão de doença ou toxicidade inaceitável. O desfecho primário foi taxa de benefício clínico intracraniana, definido como a proporção de pacientes com resposta completa, parcial ou doença estável ≥ 6 meses por RECIST 1.1. Resposta avaliada por investigador (INV) e análise central independente (ACI), além de sobrevida livre de progressão (SLP) e sobrevida global (SG) também foram avaliadas. 

Com um seguimento geral mínimo de 34 meses (seguimento médio: 34m, coorte A; 7.5m, coorte B), foram incluídos 101 pacientes assintomáticos com avaliação por INV (95 ACI) e 18 pacientes sintomáticos (17 ACI). A taxa de resposta avaliada por INV e ACI foram consistentes, com uma taxa de concordância entre os pacientes avaliados de 85% para coorte A e 94% para coorte B.  

Na coorte A, a SLP intracraniana avaliada em 36 meses foi 54% (95% intervalo de confiança, 43-64) por INV e 52% (41-62) por ACI, com SG de 72% (62-80). Já na coorte B, a SLP intracraniana avaliada em 36 meses foi 19% (95% intervalo de confiança, 5-40) por INV e 28% (10-50) por ACI, com SG de 37% (14-60). Não foram relatadas novas mortes relacionadas ao tratamento ou alterações na segurança destas medicações. 

Os autores concluem que houve uma alta concordância entre as respostas avaliadas por INV e ACI em ambas as coortes. Também reforçam que as SG e SLP duradouras vistas na população assintomática no seguimento de 3 anos demonstram o benefício da combinação NIVO + IPI nesta população. Adicionalmente, apesar de pacientes com metástase cerebral de melanoma demonstrarem um cenário de tratamento mais difícil, alguns pacientes podem se beneficiar do uso da combinação NIVO + IPI à longo prazo. 

 

Referências: 

1) Tawbi H.A., et al. CheckMate 204: 3-year outcomes of treatment with combination nivolumab (NIVO) plus ipilimumab (IPI) for patients (pts) with active melanoma brain metastases (MBM). ESMO 2021. 

 

Send this to a friend