Uso pré-operatório de durvalumabe, com ou sem tremelimumabe, em pacientes com carcinoma espinocelular de cabeça e pescoço

< 1 min. de leitura

 Dr. Pedro de MarchiOncologista Clínico e Coordenador do Grupo Oncoclínicas (RJ), comenta sobre os dados de estudo clínico que investiga o uso de durvalumabeem combinação ou não com tremelimumabe, em pacientes com carcinoma espinocelular de cabeça e pescoço, apresentado no ESMO 2021

Embora os anticorpos que bloqueiam o eixo PD-1/PD-L1 melhorem a sobrevida em pacientes com carcinoma espinocelular (CEC) de cabeça e pescoço recorrente e/ou metastático, a segurança e eficácia da imunoterapia neoadjuvante com anti-PD-L1 (durvalumabe), com ou sem bloqueio de CTLA-4, não foram exploradas. Este trabalho visou avaliar a segurança e eficácia de uma dose única de durvalumabe pré-operatório com ou sem tremelimumabe (anti-CTLA-4) em pacientes com CEC de cabeça e pescoço ressecável. O desfecho primário do estudo era determinar a taxa de recorrência local. Os desfechos secundários incluíram resposta patológica, segurança, tolerabilidade, resultado de sobrevivência e exploração da dinâmica imunológica. 

Neste vídeo, Dr. Pedro comenta os dados de atualização deste estudo, discutindo informações relevantes que foram apresentadas no ESMO 2021. 

 

Ouça também o podcast:

 

 

Referências: 

LBA9 – M.H. Hong, et al., Preoperative durvalumab (D) with or without tremelimumab (T) for resectable head and neck squamous cell carcinoma (HNSCC). https://doi.org/10.1016/j.annonc.2021.08.1270 

Send this to a friend