Eriaspase em combinação com quimioterapia como tratamento de segunda linha para pacientes com adenocarcinoma pancreático avançado

< 1 min. de leitura

Neste vídeo, Dra. Renata D’Alpino, oncologista clínica no Centro Paulista de Oncologia e diretora Científica do Grupo Brasileiro de Tumores Gastrointestinais (GTG), comenta sobre o estudo clínico TRYbeCA-1, que apesar de não positivo, é interessante por apresentar uma droga relativamente novaa eriaspase

TRYbeCA-1 foi um estudo randomizado, aberto de fase 3, que avaliou o uso da eriaspase combinada com quimioterapia em pacientes com adenocarcinoma avançado do pâncreas, e que progrediram em apenas uma linha prévia de terapia sistêmica. Os pacientes foram randomizados (1:1) para terapia com gencitabina/nab-paclitaxel ou irinotecano/fluorouracil (5FU) (dependendo da primeira linha recebida), com ou sem eriaspase.  

A eriaspase é uma asparaginase que fica encapsulada em glóbulos vermelhos. A asparaginase encapsulada induz a degradação da asparagina e da glutamina -aminoácidos que são essenciais para o crescimento e sobrevivência das células cancerígenas pancreáticas.  

Vale a pena assistir o vídeo e conferir a análise completa deste estudo!  

 

Referências:  

  1. Abstract 518 – Pascal Hammel et al., Trybeca-1: A randomized, phase 3 study of eryaspase in combination with chemotherapy versus chemotherapy alone as second-line treatment in patients with advanced pancreatic adenocarcinoma (NCT03665441). 2022 ASCO Gastrointestinal Cancers Symposium 

Send this to a friend