Orientações formais de radioterapia e como esse tratamento tem evoluído dentro do câncer de mama

2 min. de leitura

Dra. Elisângela CarvalhoCoordenadora do Departamento de Radioterapia do Hospital São Rafael (Rede D’Or), comenta neste vídeo sobre algumas orientações para realização de radioterapia em pacientes de câncer de mama, e como esses tratamentos vêm evoluindo

Dra. Elisângela comenta sobre o panorama de tratamento com radioterapia no câncer de mama. As indicações são de caráter adjuvante, posteriores a cirurgia e quimioterapia, quando indicados aos pacientes, tendo como principal objetivo minimizar a taxa de recidiva loco-regional da doença. A especialista comentar que nos tratamentos mais conservadores contra câncer de mama, a grande maioria dos pacientes será submetido a radioterapia.  

Os pacientes são elegíveis para receber radioterapia quando apresentam tumores maiores que 5cm, possuem acometimento ganglionar ou margem comprometida. A toxicidade da radioterapia se relaciona ao local irradiado, e hoje em dia, as tecnologias aplicadas para radioterapia visam, principalmente, o controle dos efeitos adversos (EA) sem que haja comprometimento do benefício clínico do tratamento. 

A médica comenta, então, como são planejados hoje em dia os tratamentos com radioterapia e algumas das principais tecnologias utilizadas. Ela relata que a partir da utilização  de tomografia computadorizada do tórax, é possível que o tratamento seja feito de  forma tridimensional, controlando os volumes de interesse, e individualizados para cada paciente. Outra tecnologia importante neste contexto, é a radioterapia com intensidade modulada (IMRT), que permite o controle mais preciso da dose de tratamento, contribuindo com a minimização das áreas de superdosagem, que é o que basicamente leva a efeitos colaterais.  

Outros avanços importantes foram acontecendo ao longo dos últimos anos e a partir de alguns estudos importantes, se consolidou o tratamento de radioterapia hipofracionada como um tratamento eficaz. É  um tratamento realizado aos mesmos moldes do tratamento tradicional, porém sem aumentar a ocorrência de EAs, e que possibilita a realização do tratamento em metade do tempo convencional. O hipofracionamento trouxe benefícios para o paciente, permitindo que ele necessite se deslocar para realização da radioterapia menos vezes. Ou seja, há um benefício na qualidade de vida do paciente, sem trazer prejuízo na qualidade do tratamento.  

 

Send this to a friend