Imunoterapia em pacientes com tumores pulmonares ou gastroenteropancreáticos neuroendócrinos

2 min. de leitura

Estudo da fase II com nivolumabe +/- ipilimumabe em pacientes com carcinomas neuroendócrinos de pulmão/gastroenteropancreáticos com progressão após quimioterapia baseada em platina atingiu seu desfecho primário

Carcinomas neuroendócrinos (CNE) fazem parte de uma família de tumores com morfologia pouco diferenciada, com características moleculares, clínicas e desfechos semelhantes. Ainda não existem tratamentos padronizados disponíveis após falha à quimioterapia baseada em platina. A combinação do inibidor de PD-1, nivolumabe (nivo), com ou sem o inibidor de CTLA-4, ipilimumabe (ipi), demonstrou benefício em sobrevida global vs quimioterapia padrão em tumores sólidos metastáticos. GCO-001 NIPINEC foi um estudo de fase II, multicêntrico, não-comparativo, randomizado (1:1) e com desenho em duas etapas (suspensão precoce por futilidade após 50% de recrutamento). Foram incluídos pacientes com diagnóstico histológico de CNE (grande e pequenas células para tumores gastroenteropancreáticos [GEP] e grandes células para os de origem pulmonar) em 2ª ou 3ª linha após tratamento com esquema baseado em platina e performance status 0-2. Os pacientes receberam nivo 3mg/kg a cada 2 semanas +/- ipi 1mg/kg a cada 6 semanas por 2 anos ou até progressão de doença/toxicidade limitante. O desfecho primário foi taxa de resposta objetiva (ORR) em 8 semanas avaliada pelo investigador (poder de 90%, erro alfa de 5%, bi-caudado). Os desfechos secundários incluíram sobrevida livre de progressão (SLP), sobrevida global (SG) e segurança.  

Resultados:  

De dezembro de 2018 a março de 2021, 185 pacientes (93 de GEP e 92 de pulmão) foram incluídos em 50 centros. A mediana de idade foi de 64.4 meses, 71% homens, 70% fumantes, 91% com ECOG 0-1, 24% com metástases cerebrais assintomáticas. ORR em 8 semanas foi de 7.2% (95% IC [2.7-15.1]) nos pacientes que receberam nivo e 14.9% (95% [8.2-24.2]) para a combinação de nivo + ipi. A mediana de SLP foi de 1.8 meses (95% IC [1.7-2.0]) e 1.9 meses (95% IC [1.6-2.1]) para nivo e nivo + ipi respectivamente. A mediana de SG foi de 7.2 meses (95% IC [3.7-14.1]) para nivo e 5.8 meses (95% IC [3.3-7.6]) para a combinação. A taxa de descontinuação por eventos adversos foi de 3.5% (nivo) e 8.9% (nivo + ipi). Foram relatados dois casos de morte relacionadas ao tratamento no grupo do nivo (menigoencefalite e pneumonite). A maioria dos eventos adversos ≥ grau 3 foram representados por astenia (7.3%), anemia (6.3%) e aumento de fosfatase alcalina (5.8%). 

Conclusão:  

A combinação de nivolumabe com ipilimumabe alcançou o desfecho primário em 2ª/3ª linhas de pacientes com CNE com perfil de toxicidade aceitável.     

 

Referências:  

  1. N. Girard, et al. Abstract LBA41. Annals of Oncology. V32. Issue S5. doi.org/10/1016/j.annoc.2021.08.2119 
Send this to a friend